Você sabe a diferença entre FUNDIDO x FORJADO?

#Indústria #Fundido #Forjado #MicrofusãodePeçasMetálicas #Ferro

O ferro forjado é ferro comercial (aço corrente) que é basicamente uma liga ferro-carbônica com baixo teor em carbono e sem elementos de liga. O nome de ferro forjado deve-se ao facto de ser conformado a quente recorrendo a um aquecimento (por exemplo, numa forja). Depois de aquecido, pode ser martelado numa bigorna, tradicionalmente, ou em prensa para que se obtenha a forma pretendida.

O fundidos são compostos de liga de ferro-carbono-silício, com teores de carbono que variam acima de 2,5 % e 4,0% e silício 1,0% e 3,0%, em quantidade superior à que pode ser obtida em solução sólida na austenita, de modo a resultar na formação de grafita, na forma de veios (lamelas) ou nódulos (esferas). Eles possuem baixo ponto de fusão, então, utilizam menos energia em fornos e sua modelação é facilitada, além de preencher totalmente os vazios intrincados dos moldes. Essas características conduzem a um material barato e de versatilidade considerável para fins de projeto e produto

O forjamento é um processo de fabricação que envolve a formação de metais usando forças de compressão localizadas. Os golpes são feitos com um martelo (muitas vezes, um martelo de potência). No caso dos Forjados, a primeira forma é um lingote obtido na aciaria que são transformados em placas ou tarugos e depois, forjados no perfil em martelos e prensas. Entretanto, bastante usinagem é requerida até sua configuração final. Já no caso do processo de Fundição, o metal líquido é colocado em um molde, que contém a uma cavidade com a forma deseja. Após a solidificação, quando necessário, faz-se apenas algumas operações finais de usinagem. A parte solidificada é conhecida como peça fundida

No forjamento, para moldar o metal na forma desejada, são requeridos grandes esforços, pois, o metal está no estado sólido. Menciona-se também que, quanto maior a espessura original da parede, maior será a força de deformação necessária. Por outro lado, no processo de fundição, o metal parte do estado líquido preenchendo diretamente o molde até a forma desejada. No forjamento, o metal sólido é forçado na cavidade da matriz, na fundição o metal é vazado na cavidade do molde. O líquido preenche com facilidade e completamente a cavidade. 

As principais propriedades mecânicas de interesse pelos projetistas são: Resistência, Ductilidade e Dureza. Para aços fundidos se o componente é feito de uma liga padrão, as características estão informadas na especificação padrão. Se for feito de alguma outra liga especial os testes padronizados de tração fornecerão os valores. Muitas peças são fabricadas a partir de produtos laminados como barras ou chapas. Ambos, laminação e forjamento, têm propriedades direcionadas pelo processo de deformação. Tensão Limite de Resistência, o Alongamento Percentual e a Resistência ao Impacto diminuem na direção transversal ao eixo de laminação ou forjamento uma vez que os laminados e forjados são anisotrópicos, isto é, apresentam diferentes valores de propriedades para diferentes direções. No caso de ligas fundidas equivalentes a ductilidade e a resistência ao impacto se situam entre os valores longitudinais e transversais apresentados pelo forjado. No fundido o metal é isotrópico, apresentando propriedades similares em todas as direções. É importante salientar que as condições de serviço dos componentes devem ser cuidadosamente avaliadas. Se o carregamento for uniaxial (ao longo da seção longitudinal) o forjado apresenta boa vantagem, mas se o carregamento cresce em outra direção neste caso o forjado passa a ser um problema.

Gostou do artigo sobre ferro fundido e forjado ? Compartilhe nas suas redes sociais!

Cenário Automotivo Brasileiro para 2020.

#Indústria #CenárioAutomotivo #PeçasMicrofundidas #MicrofusãodePeçasMetálicas #2020

Considerando uma situação macroeconômica com inflação estável, taxa de juros com viés de queda e o patamar do dólar representando baixo risco para as venda, as vendas de automóveis leves fecharão 2019 em acensão, em torno dos 2,84 milhões de emplacamentos e crescerão para 2,99 milhões em 2020. As reformas geram clima interno favorável para vendas.

Apesar do cenário econômico externo adverso, como o momento vivido pela Argentina, as montadoras e as indústrias de autopeças estão confiantes de que a produção automotiva brasileira continuará crescendo em 2020. Tal ascensão poderia ser ainda mais positivo, se não fossem tais riscos. Parte da expectativa positiva do setor é devido a reforma da previdência. O fator gera otimismo, fortalece a economia, e consequentemente, beneficia a situação das autopeças e montadoras.

Menciona-se também que, a melhoria do ambiente de negócios e o incentivo à inovação estão na pauta do governo, como a retomada de investimentos em infra-estrutura, com as concessões privadas de aeroportos, rodovias e portos. Além claro, da Rota 2030, que prevê um ambiente de estabilidade com incentivos fiscais para metas e investimento em programas de pesquisa e desenvolvimento. As metas definidas para o Rota 2030, terão contribuição essencial para a competitividade do ramo no ambiente global.