Home Office e digitalização são as novas apostas para o setor automotivo.

#Digitalização #HomeOffice #COVID19

Uma série de empresas do ramo automotivo aderiram a transformação no modo de trabalhar e produzir, o chamado Home Office. A flexibilização da jornada e o exercício remoto vieram para permanecer pós covid19, pelo menos em partes. Segundo uma pesquisa realizada pela revista Automotive Business, em parceria com a Roland Berger, mais da metade dos entrevistados (51,3%) disseram que trabalhar de casa tem se traduzido em melhor equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Parcela de 42,2% notaram aumento da produtividade trabalhando de casa e 51,3% afirmaram que a adoção de políticas de trabalho remoto será o principal legado da crise atual.

Entretanto, 53,7% dos respondentes do Termômetro do Setor Automotivo disseram que as empresas em que trabalham não tinham nenhuma política de home office até então. Portanto, a partir dessa análise vê-se que é necessário que as empresa pensem em meios de ensinar e orientar seus trabalhadores para lidarem com as inovações tecnológicas que estão sendo essenciais nesse momento. 

O modelo de trabalho remoto chegou ao Brasil recentemente, na bagagem das empresas multinacionais e embalado como benefício no pacote de horários flexíveis. Estima-se que a solução esteja presente na vida de 31,2% das empresas brasileiras, contudo, como esse dado foi concluído antes da crise de CoronaVírus, espera-se que esse número seja ainda maior. Visto que, muitas companhias aderiram ao modelo de trabalho como alternativa para não pararem.

Flexibilidade, ausência de engarrafamentos, ônibus lotados e entre outras vantagens fazem do escritório em casa uma ótima opção para os novos tempos. Depois da ascensão da internet podemos dizer que o mundo mudou e para as instituições continuarem exercendo suas atividades, terão que se adaptar aos novos tempos. 

Intel compra Moovit por R$900 milhões.

#Intel #Moovit #Automação

A Intel anunciou a compra da Moovit, empresa líder em soluções de Mobilidade como Serviço (MaaS). A organização ficou conhecida em 2012 quando criou o aplicativo Moovit gratuito para Android e iOS. O aplicativo reúne informações oficiais das autoridades e operadores de transporte público junto aos dados da comunidade Moovit para oferecer a melhor rota em tempo real para o usuário. Segundo a empresa de tecnologia Intel, o objetivo da compra é a complementariedade de dois negócios: a Moovit e a Mobileye – a segunda, é uma empresa pertencente à Inter especializada em sistemas de sensores e câmeras que permitem aos veículos enxergar e traçar cenários. 

A Intel já era uma das principais financiadoras da Moovit, que cresceu em um núcleo de startups voltadas à mobilidade urbana, e ambas trabalhavam juntas desde 2018, entretanto, agora, com os algoritmos da startup usados na análise de tráfego, o ADAS da Mobileye ficará mais preciso, permitindo a redução do trânsito” – segundo o CEO da Intel Bob Swan. “A tecnologia da Mobileye já contribui para melhorar a segurança de milhões de carros nas estradas e a Moovit acelera a habilidade de revolucionar o transporte ao reduzir congestionamentos e salvar vidas” – afirma Swan sobre a congregação das empresas.

Em comunicado, a companhia aponta que, com a compra, poderá oferecer soluções completas de mobilidade para veículos autoguiados. A organização estima que este mercado chegará a R$160 bilhões em 2030

Mesmo com o cenário econômico não sendo tão vantajoso para os negócios, a companhia afirma que sua estratégia está sendo investir e expandir seus negócios enquanto concorrentes recuam, permitindo-lhe assumir a dianteira quando a pandemia passar.