Petrobrás passa a produzir nova gasolina

#2020 #Petrobrás #Indústria #Automotores

Devido à constatação de efeitos negativos nos automóveis, gerados pelo combustível vendido no Brasil, como quebra de motores novos depois do abastecimento e aumento de consumo, a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) passou a adotar novas especificações em sua fórmula, adaptando o RON – sigla em inglês para Research Octane Number, método de pesquisa mais usado na Europa, que avalia a resistência da gasolina à detonação com o motor carregado e em baixa rotação de até 3000 rpm – que era baixo.

 “Tínhamos à venda no País gasolina com massa baixa, chegamos a ver com 680 kg/m3, que aumenta o consumo. Por isso foi importante especificar o mínimo de 715 kg/m3 que passa a valer agora”, explica Rogério Gonçalves, especialista em combustíveis da Gerência de Desenvolvimento de Produtos da Petrobras. A nova gasolina, reduz o consumo de 4% a 6%. A Petrobras então, já está produzindo gasolina mais eficiente em todas as suas refinarias. O combustível tem novas especificações de octanagem e massa prevista pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), que em sua Resolução 807/20, publicada em janeiro deste ano, determina que a partir de 3 de agosto próximo toda gasolina vendida no País tenha no mínimo 92 octanas medidas pelo método RON e peso mínimo de 715 kg por metro cúbico.

Deixe sue comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *