Mulheres no volante: eventos automotivos de 2022 dão exemplo de diversidade

O retorno dos eventos automotivos não é a única novidade do segmento de 2022: as atrações como Fenatran, São Paulo Motor Experience e Salão Duas Rodas, conhecidas por atrair um público mais masculino, agora possuem potencial para se tornarem mais inclusivas.

Isso se deve a uma conquista histórica: pela primeira vez, os eventos organizados pela RX (antiga Reed Exhibitions) contam com lideranças femininas. São elas: Amanda Franza, na chefia da área de marketing do SPMXP e Salão Duas Rodas, Ana Paula Pinto, responsável pela Fenatran, e Mariana Souza, na gerência de marketing da Fenatran e Automec.

Por anos a fio, a presença de mulheres nestes espaços se resumiu a modelos sexys posando ao lado dos veículos. Mas isso vem mudando: na última edição, em 2018, marcas como Jeep, Fiat e Nissan introduziram recepcionistas de ambos os gêneros e com roupas mais compatíveis com as propostas apresentadas do que seus atributos físicos. Já a Ford optou por apenas apresentar os carros, sem modelos. Além disso, a SPMXP já conta com mais de 50% dos cargos de gestão ocupados por mulheres.

 “A transformação tem que ser de dentro para fora. Precisamos de mulheres pensando para mulheres. Por isso, vamos criar ações e experiências com foco também no público feminino, queremos um evento com mais equidade de gênero e que seja para toda a família.” – declarou Amanda Franza.

Além de a divulgação dos eventos estarem sendo direcionadas para ambos os gêneros, algumas experiências serão comandadas por mulheres, como a pista de drift, por exemplo.

Segundo a pesquisa Diversidade no Setor Automotivo da Automotive Business, 47% das empresas do segmento automotivo consideram o tema estratégico para seus negócios, contando com projetos estruturados de inclusão de mulheres e população negra, LGBTQI+ e portadores de deficiência.

Podemos esperar, então, a expansão de espaços igualitários nas montadoras, bem como eventos do setor.

Motor que roda com qualquer combustível? Confira a novidade da Cummins

Diesel, gasolina, etanol, hidrogênio – para o novo motor da Cummins, tudo é possível. De olho no futuro do mercado, a nova plataforma universal de motores é uma proposta inédita na indústria automobilística, com condições para atender todos os segmentos.

A aposta vai na contramão da tendência de eletrificação dos veículos automotores. Entretanto, enquanto os motores a combustão forem uma realidade, ainda existe espaço a se explorar. Por isso, além de proporcionar veículos multicombustíveis, a nova solução permite uma menor emissão de carbono, maior facilidade na fabricação e manutenção, diminuindo custos.

Como funciona o motor universal da Cummins

A novidade é diferente dos motores flex, onde o ajuste é automático.

Ela consiste em uma base comum – bloco, pistões, virabrequim, bielas e outras peças inferiores do motor são iguais em todos os modelos – e peças intercambiáveis – componentes localizados acima da junta do cabeçote são trocados de acordo com o combustível a ser utilizado.

Destinado em primeira instância para máquinas pesadas usadas na agricultura e construção, o motor traz um bloco de seis cilindros e um turbo de geometria variável capaz de entregar entre 155 a 326 CV. Caso tenha boa aceitação, o transporte rodoviário é o próximo a ser contemplado pela tecnologia.

É claro que para um projeto como esse rodar perfeitamente, é necessário contar com peças de extrema qualidade e precisão. Você sabia que a Fupresa atende o mercado de veículos leves, pesados e agrícolas, oferecendo componentes microfundidos para motor, transmissão e carroceria?

Através do processo de microfusão CGP (vazamento por contra gravidade) é possível executar projetos de alta complexidade com excelência. Confira as vantagens exclusivas Fupresa:

Saiba mais sobre o portfólio de componentes microfundidos para motores, transmissões e carrocerias clicando aqui.

BMW prevê sucesso do novo modelo iX no Brasil, mas ele não será elétrico

A BMW é líder do segmento premium pelo terceiro ano consecutivo no Brasil. Em 2021 a empresa teve 14.552 unidades emplacadas, 17% a mais em relação a 2020, e um em cada três veículos de luxo emplacados no país era um BMW.

A fabricante atribui o crescimento à modernização de sua rede de concessionários. A iniciativa partiu dos próprios revendedores, fazendo com que a BMW antecipasse em um ano o plano de renovação das lojas Retail Next, que começaria apenas em 2023. A ideia é oferecer um ambiente mais aconchegante e sofisticado, sem paredes que separam as diferentes áreas de uma concessionária e com um nível de requinte que faça jus aos produtos de uma marca premium.

Novo modelo da Marca

O novo modelo nacional iX não será elétrico “É claro que a produção local precisa atender as vendas do país e a demanda do mercado, mas ainda não existem planos de fabricar um veículo elétrico no país. Nossa produção é muito flexível, mas não há nada no momento”, comenta Aksel Krieger, CEO da BMW do Brasil.

A fabricante confia no sucesso de sua gama de modelos eletrificados para manter o bom desempenho neste ano. Segundo a empresa, 90% de seu portfólio de produtos contará com pelo menos uma versão elétrica nos próximos anos. No Brasil, a BMW foi uma das primeiras marcas a lançar um carro elétrico (o i3 estreou em 2014). Agora, a empresa aposta tanto no sucesso do iX que estima que, dos 800 veículos elétricos que a marca pretende vender no Brasil em 2022, metade desse volume seja do SUV.